A utilização de KPIs em programas de formação

Diante do desafio crescente de gerenciar, controlar e tornar suas atividades mais eficientes, as empresas têm se voltado cada vez mais para o mundo dos dados e métricas.

É nesse cenário que os Indicadores Chave de Desempenho, também conhecidos como KPIs (Key Performance Indicators), vem ganhando importância como ferramenta para auxiliar na tomada de decisões.

No setor de educação corporativa, por exemplo, o uso dos KPIs em programas de formação fornecem informações extremamente importantes para guiar a ação dos consultores educacionais.

Neste artigo, você conhecerá melhor o que são e como são utilizados os KPIs em programas de formação corporativa, além de entender de que forma eles podem ser aplicados dentro do treinamento da sua empresa. Confira!

A importância dos KPIs em programas de formação educacional

Os Key Performance Indicators, também chamados de KPIs, são métricas que avaliam a performance de determinada ação, com objetivo final de mensurar quantitativamente qual foi o resultado gerado ao final do processo.

O acompanhamento de KPIs possui grande relevância em programas de treinamentos, cursos e ações educacionais — principalmente quando falamos do mundo corporativo. Será por meio deles, por exemplo, que os desenvolvedores de conteúdo, instrutores e coordenadores do curso poderão saber se o que está sendo ensinado está de fato funcionando – e quanto estes aprendizados estão impactando o negócio do cliente.

O resultado disso será um treinamento que atenda cada vez as expectativas da empresa e dos participantes em um processo de melhora contínua.

Vantagens na utilização de KPIs em programas de formação

1. Informação quantificável

Os KPIs fornecem resultados mensuráveis e objetivos, permitindo que as estratégias de conteúdo sejam moldadas de acordo com a evolução de cada treinamento.

2. Monitoramento nos desempenhos individuais e coletivos

Os KPIs ajudam a avaliar de forma quantitativa como está sendo a evolução dos participantes, tanto individual quanto coletiva. Isso faz que os pontos fracos e fortes de cada um sejam identificados, permitindo que eles sejam corrigidos, se necessário.

3. Melhora no processo de tomada de decisão

KPIs bem desenvolvidos ajudam os responsáveis pelo processo de aprendizagem a tomarem as melhores decisões, fazendo com que o treinamento caminhe na direção correta;

4. Metas transparentes e alinhadas

Os KPIs traduzem informações complexas e dados intrínsecos em métricas claras, que todos conseguem entender. Isso faz com que a equipe envolvida no treinamento se alinhe em torno dos mesmos objetivos mais facilmente;

5. Facilita o investimento em formação educacional e treinamentos

Com os dados fornecidos pelos KPIs, os benefícios promovidos pelos cursos corporativos ficam muito mais claros. Isso permite que os gestores percebam melhor todas as vantagens que um programa de formação pode trazer para a empresa, estimulando-os a investir mais em treinamentos e demais atividades relacionadas.

Como estruturar KPIs em um programa de formação educacional?

Muito se fala na dificuldade de se estabelecer KPI’s consistentes quando falamos de educação. O aprendizado é um fator intrínseco e subjetivo, que na maioria das vezes não consegue ser mensurado diretamente por alguma ferramenta.

Mas pelo menos em um programa corporativo, o processo de medir o quanto do conteúdo passado foi absorvido pelo aluno ocorre de uma maneira menos indireta. Como se trata de um conhecimento aplicado, pronto para ser colocado em prática no dia a dia profissional, é possível captar o impacto do aprendizado diretamente nos resultados do trabalho.

Mas par garantir que as informações geradas realmente reflitam a consistência do curso e sirvam como base para a tomada de decisões, um programa de formação precisa observar os seguintes aspectos ao montar sua estrutura de KPIs:

1. Definir quais indicadores estão relacionados ao treinamento

Os indicadores de desempenho precisam estar de acordo com o objetivo do treinamento e a área em que ele está envolvido. Não adianta nada acompanhar um KPI que nada tem a ver com o conteúdo apresentado no programa, já que sem uma correlação direta, o treinamento não surtirá efeito.

2. Saber onde está o problema

Um programa de formação eficiente começa ainda no seu planejamento. Antes de tudo, é preciso identificar onde estão as ineficiências no processo e programar bem o que o curso ensinará para que elas sejam eliminadas. Se a abordagem estiver correta, os KPIs mostrarão uma evolução considerável após o treinamento;

3. Traçar um objetivo para cada indicador

Os KPIs precisam ter uma meta a ser atingida, de forma clara e objetiva, dentro dos objetivos do programa.

Por exemplo: após um treinamento de vendas internas, o índice de conversão de leads em clientes terá de ser acima de 60%; após o treinamento de automação de processos, o setor terá que reduzir em 30% o tempo gasto em rotinas diárias; o índice de satisfação do cliente terá que aumentar de 60% para 85% após o treinamento de customer success.

4. Reavaliação de resultados periodicamente

Por serem ferramentas dinâmicas, a mensuração das KPIs precisa ser constante e continua. Para que os indicadores realmente façam a diferença dentro do treinamento, e os dados gerados pelos KPIs devem ser sempre renovados, para entender o que está dando certo e onde é possível melhorar.

Agora que você já sabe como os KPIs podem ser utilizados em um programa de educação corporativa, que tal aprender um pouco mais?

Assine nossa newsletter e receba gratuitamente nossos conteúdos sobre esse e outros temas!

Deixe um comentário