Por que as empresas precisam de educação em compliance?

Nos últimos anos, o termo compliance tem surgido com frequência cada vez maior no universo corporativo.

Fato que se deve à exigência imposta pelo mercado para que as empresas promovam ações que garantam a transparência e ética nos negócios, previnam riscos e assegurem o cumprimento de normas.

Para o entendimento e aplicação deste tema, é imprescindível que as empresas invistam em educação em compliance.

Afinal, o que é compliance?

Compliance é a ação da empresa que objetiva garantir que o negócio permaneça dentro das regras estabelecidas pelos órgãos reguladores e em conformidade com o regulamento, objetivos e valores estabelecidos por ela mesma.

O escopo de compliance envolve, ainda, o total conhecimento e controle de todo o conjunto de normas da companhia, procedimentos recomendados, ações em conformidade e a internalização de quanto a ética e a idoneidade são fundamentais para a sustentabilidade de qualquer tipo de negócio.

Para isso, todos os colaboradores devem estar envolvidos em todas as atividades, evitando conflito com valores e princípios da empresa. Neste contexto, as empresas precisam ser capazes de:

  • Identificar riscos;
  • Conhecer com profundidade e aplicar as legislações trabalhista, tributária e ambiental;
  • Conhecer e aplicar outras normas reguladoras de todos os locais onde tem atuação;
  • Desenvolver e implementar programas voltados para a contenção rigorosa de riscos no segmento do seu negócio.

Todas as regras e determinações que a empresa precisa seguir e responder devem estar atreladas à compliance.

Objetivos e valores da companhia também devem ser considerados nesta construção estratégica de políticas, controles e regulamentos.

E bem divulgados por meio da educação em compliance , não somente entre seu público interno (funcionários), mas também a todos os envolvidos na sua cadeia de trabalho (públicos de interesse, os chamados stakeholders).

Isto porque a função deste conjunto de regras é educar funcionários e demais públicos, principalmente, gestores, a respeito dos riscos que a empresa pode oferecer ao mercado.

Como por exemplo, o descumprimento de normas ambientais que possam gerar consequências ao meio ambiente e passíveis de multas e riscos incalculáveis à sua reputação.

A importância da educação em compliance e o que fazer

O estabelecimento de normas, princípios e códigos de ética deve ser disseminado de forma a construir e desenvolver a cultura na empresa, utilizando-se de ferramentas eficazes.

A capacitação dos colaboradores, via ações de comunicação e treinamento, constitui uma maneira estratégica para orientar a todos de forma a atuarem de forma ética e de acordo com as leis e normas estabelecidas.

Aprofundar o conhecimento dos colaboradores a respeito das responsabilidades legais os capacita a prevenir, identificar e tratar situações irregulares ou de risco.

Cursos presenciais, palestras, comunicados, publicações, workshop e conteúdos interativos são ferramentas eficazes para disseminar a cultura e ainda reforçar comportamentos positivos.

Troca de brindes ou favores e uso de informações sigilosas e privilegiadas estão entre os temas abordados nos treinamentos relativos à educação em compliance.

Equipe qualificada e competitiva resulta em ganho de desempenho

O 11º. Panorama, estudo realizado pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento, consultou 502 empresas e revelou que no Brasil as empresas investem R$ 624 por ano em treinamento por colaborador.

Apesar de parecer pouco, o número demonstra a preocupação das empresas em qualificar seus colaboradores afim de manter uma equipe mais qualificada e competitiva, objetivando o ganho de desempenho.

As ações de educação em compliance devem ocorrer de forma contínua, para o engajamento dos colaboradores e para que todos os novos funcionários sejam apresentados à cultura da empresa e recebam seu código de ética.

Como já dissemos, fornecedores também devem ser envolvidos nas ações de compliance da empresa para uma maior sinergia nos negócios.

Como implantar compliance?

A eficácia do compliance depende diretamente do envolvimento e participação dos líderes.

O CEO precisa ter o entendimento da importância destas ações e a liderança deve estar engajada e ser exemplo para todos os funcionários (walk the talk).

Profissionais e consultorias especializadas no desenvolvimento das ações e áreas de compliance, com conhecimento sobre as leis e regulamentos para cada segmento de negócio,estão devidamente preparados para auxiliar as empresas a desenvolver sua cultura de compliance.

Suas responsabilidades são a implementação de políticas para redução de fraudes, treinamento sobre as regras e prevenção de conflitos entre a empresa e a sociedade em que está inserida.

Por ser multidisciplinar, a área de compliance exige conhecimentos a respeito de finanças, legislação, contabilidade, comunicação e meio ambiente.

Para desenvolver um programa de educação em compliance robusto e customizado para o seu negócio, conheça a Escola de Risco.

Deixe um comentário