Como um programa de educação pode reduzir os riscos legais?

O gerenciamento de riscos deve fazer parte da estratégia de todas as empresas e ser levado em conta nas decisões dos diversos setores e departamentos, por meio de um programa de educação efetivo. Contratar colaboradores, comprar ativos, fazer um investimento ou buscar financiamento são atividades que precisam envolver medidas de gerenciamento que visam reduzir os riscos legais.

O que são riscos?

A definição de risco é a incerteza diante de algum resultado. Em se tratando de empresas, todos os dias surgem riscos nos mais diversos segmentos. Eles podem ter tanto consequências positivas, como aumento da lucratividade ou da competitividade, quanto negativas, no caso de multas e processos litigiosos. Porém, nem todos os riscos são considerados riscos legais.

Os riscos corporativos podem surgir a partir de fatores externos ou internos da empresa. E ocorrem nas mais diversas áreas, como finanças, governança, recursos humanos, meio ambiente, infraestrutura, entre outros.

É extremamente importante que sejam identificados e mapeados os potenciais riscos antes que venham a causar danos à corporação. Para isso, é necessário estruturar os mecanismos para tratamento dos riscos corporativos, sejam eles operacionais, financeiros, estratégicos e de compliance.

Como trabalhar a gestão de riscos legais?

Com o conhecimento dos riscos legais, a empresa pode então elaborar a gestão, a partir de algumas etapas:

1 – Diagnóstico dos riscos

Compreenda o modelo de gestão da organização e dos processos para mapear gargalos e vulnerabilidades da companhia. Através de entrevistas com lideranças, compreenda também o funcionamento das atividades e processos da empresa, dados e indicadores, para poder alcançar uma análise qualitativa e quantitativa e o entendimento da escala de probabilidade e impacto do risco.

2 – Planejamento de ações

Levantados os riscos, o passo a seguir é priorizá-los. Afinal, muitos podem ser os riscos mapeados. Mas alguns têm mais prioridade que outros. Probabilidade e impacto são as variáveis determinantes para julgar a importância do risco.

Probabilidade é a chance de que este risco realmente venha a ocorrer e pode ser determinada através de análises estatísticas. Já o impacto é o dano causado pelo acontecimento deste provável evento. A avaliação do impacto permite levantar a vulnerabilidade da organização diante de uma ocorrência.

Reconhecida a prioridade de ação sobre os riscos, é hora de definir estratégias e ações específicas e factíveis para monitorar, eliminar ou diminuir os riscos.

3 – Execução de planejamento e monitoramento dos riscos

É necessário um controle e monitoramento sobre algumas ações do planejamento para garantir que sejam realizados e efetivos. Para esse fim, você pode utilizar sistemas contendo relatórios e indicadores de desempenho, criação de procedimentos e políticas, mecanismos de controle ou até mesmo a criação de uma área para a gestão de riscos e governança.

Como aplicar um programa de educação para reduzir os riscos legais?

Não basta que se crie uma área ou um planejamento consistente para prevenção de riscos se você não envolver todos os colaboradores. O envolvimento deles é crucial para o resultado efetivo das ações para reduzir os riscos legais. Dai a importância da educação por meio de muita comunicação eficaz e um programa robusto de treinamento.

É necessária uma mudança de cultura organizacional, favorecendo o comportamento íntegro e ético de colaboradores e terceiros. Por isso, todos devem passar por treinamentos, desde os funcionários mais antigos até os novos e estagiários. Somente assim, você garante a internalização de um código de conduta e passa a reduzir os riscos legais.

Mas, afinal, como um programa de educação pode reduzir os riscos legais na empresa? Os treinamentos objetivam garantir que os colaboradores conheçam adequadamente vários temas e situações para terem condições de sempre fazer a coisa certa, mantendo um comportamento ético e íntegro. Desta forma, sua empresa está praticamente livre dos riscos legais.

E para alcançar isso, o treinamento deve levar em consideração, as áreas de risco e temas relevantes, como por exemplo:

  • Recebimento de presentes e favores;
  • Relações com fornecedores;
  • Acesso a informações privilegiadas;
  • Participação em licitações;
  • Canais de denúncia, entre outros.

O treinamento deve ser realizado de forma contínua e com uma abordagem que favoreça a absorção das informações. Prefira os treinamentos mais curtos e os realize várias vezes ao ano. Utilize conteúdos dinâmicos, pontuais e possíveis de ser acessados em qualquer ambiente ou horário. Isso favorece o acesso e aumenta interesse do público alvo.

Como vimos, com ações estratégicas, mapeamento e controle dos riscos e educação, é possível reduzir os riscos legais na sua empresa e garantir lucratividade e produtividade, dentro da ética e regulamentação.

Conheça as soluções em educação que a Escola de Risco tem para oferecer e garanta a redução de riscos legais em sua empresa.

Deixe um comentário